categoria
colaborador
arquivo

Remix, até quando?

mashup

José Flávio Jr. terá trabalho este fim de semana. O curador da categoria Música vai acompanhar a apresentação de sete selecionados nos shows do Festival Movimento HotSpot, em Belo Horizonte. Além disso, participa da Roda de Conversa “Remix, até quando?”, com Susana Barbosa, diretora executiva da revista ELLE e Waldick Jatobá, colecionador e curador de design mediada por Augusto Mariotti, às 16h30, no auditório do Memorial Minas Vale

Aqui, nesta entrevista, ele adianta alguns pontos que serão abordados na parte musical neste polêmico tema,  no sábado.

MHS:  Com a difusão do mashup acabou o lugar para o novo ou podemos considerar a reeleitura algo inovador?

José Flávio Jr: Sempre haverá lugar para o novo. Quando essa onda de mashups começou, era divertido acompanhar as fusões. Mas hoje não existe nada mais antigo do que um mashup.

MHS: Como fica a questão dos direitos autorais com a difusão do mashup? Há uma consenso neste uso livre das “bases”?

José Flávio Jr: Não tenho conhecimento legal para falar sobre isso. Mas se você que está lendo isso faz mashups, eu imploro: pare imediatamente. Se eu fosse artista, mandava prender quem usasse minha música num mashup em 2013.

MHS: Quais são as figuras mais importantes do mashup mundial e no Brasil?

José Flávio Jr: Eu sou da época em que o Erol Alkan fazia seus mashups ao vivo em Londres. Depois, me diverti bastante com os belgas do 2 Many DJs. Mas, hoje, não tenho ideia de quem ainda lida com isso. Gostaria de saber para não ser pego de surpresa e poder fugir.

MHS: O cenário musical no Brasil é riquissimo visto as atracoes musicais q passaram pelos festivais. Há espaco entao para as duas linhas de criação?

José Flávio Jr: Eu prefiro sempre que os artistas criem algo novo, mas é difícil fugir do que já foi produzido na música pop, especialmente na segunda metade do último século. Acho que quem reaproveita ou recombina ideias também tem o seu valor, mas o que pode ser melhor do que ouvir um som que você nunca ouviu antes? O que é original é sempre mais atraente para quem trabalha com música 24 horas por dia, que é o meu caso.

MHS: Você acompanhou a apresentação das banda selecionadas nos festivais? Isso lhe ajudou a selecionar as semifinalistas?

José Flávio Jr: Com certeza. Estar presente é muito importante. Eu estive em Porto Alegre e estarei em BH. Mas dei um jeito de me informar sobre as apresentações nas outras cidades. Muitos artistas fazem mais sentido no palco do que em gravações.

MHS: Qual sua expectativa para o Tanque de Ideias? Já sabe como será sua participação?

José Flávio Jr:  Estou muito curioso. Já pensou se sai uma ópera dessa reunião? Eu ficaria muito feliz. O pessoal da música tem facilidade de se misturar com outras áreas. Chego até a ter uma invejinha dos selecionados para o Tanque. Acho eles terão uma experiência iluminadora. Eu vou ajudar no que for possível, dando pitacos e me emocionando junto com o povo.

MHS: Você participou ativamente das atividades do MHS. O que acha deste contato curador/candidatos?

José Flávio Jr:  Fundamental. Adoro compartilhar o que aprendi em 15 anos como jornalista musical e curador. E os músicos iniciantes costumam ter paciência extra para ouvir minhas ladainhas. Acho que fico mais feliz com esse contato do que eles.

MHS: O que espera ver das sete bandas que vão se apresentar em BH?

José Flávio Jr:  Acho que será muito plural. Os artistas não se parecem muito entre si, o que acho ótimo. Pena que o pessoal do Dibigode estará nos Estados Unidos e não poderá participar. Mas essa banda eu vi ao vivo em Fortaleza, então sei do que ela é capaz em cima de um palco.

MHS: Como é o cenário musical mineiro?

José Flávio Jr:  Rico. A banda que eu mais vi ao vivo na minha vida é de Minas: Pato Fu. E a turma atual também é joia. Gosto muito do Transmissor, acho todos os integrantes do Graveola e o Lixo Polifônico talentosos e a cena hip hop também é vibrante.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL MOVIMENTO HOTSPOT EM BELO HORIZONTE

Período: 19 e 20 de julho

- MUSEU INIMÁ DE PAULA

Exposição de criativos do Movimento HotSpot

Local: Rua da Bahia, 1.201 – Centro

Horário: das 18h às 21h (no dia 19/07) e das 10h às 19h (no dia 20/07)

Entrada: Gratuita

- MEMORIAL MINAS GERAIS VALE – PRAÇA DA LIBERDADE

Palestras, encontros e exibição de curtas

Horário: das 14h às 18h (no dia 20/07)

Entrada: Gratuita

20/07 (sábado)

11h – Cortejo com Baque de Minas 25 mulheres farão um cortejo de percussão saindo do Museu Inimá de Paula. O grupo faz parada em frente ao Memorial Minas Gerais Vale (Praça da Liberdade) e finaliza na Praça da Savassi encontrando com intervenção urbana do artista plástico Léo Pilo.

14h (Casa da Ópera) – Design, inovação, imaginação – com Waldick Jatobá

Um relato do cenário das mais recentes criações nacionais e internacionais pelo curador e colecionador Waldick Jatobá.

15h (Auditório) – “Por dentro da redação” – com Susana Barbosa

A diretora executiva da Revista Elle conta o processo criativo por trás da publicação de um dos títulos mais importantes do mundo.

16h30 (Auditório) – Remix, até quando? 

Parece que tanto na moda e no design, no cinema e na música, as inovações de hoje são mashups do que foi criado antes. O que caracteriza o inédito? Temos espaço para criação de algo genuinamente novo?

Mediador: Augusto Mariotti, organização do Movimento HotSpot

Participantes convidados:

- Susana Barbosa, diretora executiva da revista ELLE

- José Flavio Junior, crítico de música revista Rolling Stone

- Waldick Jatobá, colecionador e curador de design

18h – 21h – Movimento HotSpot no Quarteirão do Soul

Local: Elevado Santa Teresa

- GRANFINOS

Shows

Local: Av. Brasil, 326 – Santa Efigênia

Entrada: Gratuita

Retirada de ingressos online:  http://www.sympla.com.br/granfinos

19/07 (sexta-feira) – A partir das 21h*

- Luciano Sprovieri (SP)

- David Dines (MG)

- Multisambofônico (SP)

Show especial com convidado: Thiago Pethit

20/07 (sábado) – A partir das 21h*

- Daniel Limaverde (RJ)

- Gigi Suleiman (SP)

- Janaína Fellini (PR)

- Dom de Oliveira (SP)

Show especial com Banda Zimun  e Festa Alta Fidelidade

*A casa abre 20hs. Horários sujeitos a alterações. Disponibilidade de lugares sujeita à lotação da casa.

 

tags , , ,