categoria
colaborador
arquivo

Simbiose entre maquiador e designer para uma beleza perfeita

A beleza natural dita por Molinos já apareceu no primeiro desfile da temporada da marca Animale. Foto: André Conti/Fotosite

O que posso fazer para reforçar ou complementar a imagem de moda que o designer quer passar? É essa a pergunta que o maquiador deve fazer  e responder para criar a beleza de uma desfile de moda, na opinião de Duda Molinos, curador desta categoria no Movimento HotSpot.

Como todos os olhos e bocas desta semana estão voltados para o SPFW, é importante contar com a ajuda de um profissional como ele para desvendar os mistérios que envolve o backstage de um grande evento.

“O profissional tem de entrar em simbiose com a proposta do estilista”, comenta ele. ”Não adianta tentar inventar muita coisa e não ser factível com o que ser quer mostrar na passarela e o tempo de execução”.

Isso porque, geralmente, o tempo para fazer  make-up de todo o casting é muito curto. Muitos modelos, principalmente as tops, estão com a agenda tomada e entre um desfile e  outro, resta de uma hora a quarenta minutos para arrumá-las e colocá-las em fila. “É uma corrida contra o tempo. O maquiador e sua equipe vão trabalhando nas modelos que chegaram primeiro, fazendo os testes e ajustes para que esse pequeno grupo seja atendido a tempo, mantendo a uniformidade da qualidade, ou seja, todas elas belas”, relembra Molinos.

O processo de criação deve começar com pelo menos dois meses de antecedência. Ao receber todas as informações da coleção, o maquiador vai entender se quer algo mais simples, mais conceitual, as cores usadas, o tipo de pele, etc. “A maior parte dos estilistas está preferindo um make-up mais natural”, relata o curador. “ É cada vez mais importante que o que se vê na passarela seja acessível e fácil de ser replicado nas ruas”.  Por isso, as referências não podem ser apenas as de moda. Um profissional como este tem de estar ligado ao que acontece nas artes plásticas, na arquitetura, no cinema, na ecologia, para entender o contexto do que se está usando e porquê. “ Um pantone não nasce do nada. Está relacionado com esse olhar mais atento e globalizado”, ensina.

Além deste cuidado com o estilo e com o saber, o responsável pela beleza de um desfile deve levar em conta 3 fatores importantes e digamos mais práticos: a luz e a cenografia do desfile, a distância e o tempo de exposição da modelo na passarela e a iluminação do pit dos fotógrafos. Molinos explica que se deve observar como será o jogo de luz durante o show e como isso está combinado com a cor preta ou branca do cenário. Se o chão for branco, causa reflexo e deve-se reforçar um pouco a maquiagem. Se for preto, ficar atento as pernas que podem realçar as celulites. Outra questão importante é que o desfile é muito rápido e apenas os convidados da primeira fila podem ver detalhes de cores e traços pequenos. Por isso, sempre tem de se imaginar como será visto o make up de uma certa distância. Por fim, além da passarela, aquele look é fotografado. Próximo ao pit (local designado aos fotógrafos ),  há uma luz mais forte e muitos flashes ligados ao mesmo tempo.  Por isso, o trabalho é minucioso para se achar o tom certo de um make que funcione da coxia à foto impressa em uma revista.

Longe da passarela há mais de 7 anos, Molinos atua agora na promoção de sua marca para outros profissionais, geralmente cedendo produtos e alguma verba para equipes de maquiagem que assim conseguem conhecer seus produtos e divulgá-los. Sua meta é criar uma linha brasileira de qualidade com preços acessíveis. “ Hoje em dia, produtos bons são muito caros e isso acaba inviabilizando o desenvolvimento de uma indústria nacional mais forte”, comenta. A coleção é extensa passando por todos os tons de cores. “Já não existe uma ditadura da moda. Ninguém usa mais uma cor que lhe desfavorece só porque a modelo está usando. Temos de lidar com consumidoras inteligentes e isso é bom para todos”. Mas se quer algo mastigado, aí vai: continue apostando na linha natural de cores pastéis inspiradas nos famosos macarrons franceses. A chance de acerto segundo Molino é de 70%. “Não tem  como errar”, sentencia.

Linha de makeup Duda Molinos: qualidade com preços acessíveis. Foto: www.dudamolinos.com.br

tags , , , , , , ,